domingo, 27 de janeiro de 2008

O caminho

Neste momento o caminho estreitou e as silvas ferem-me, mas não tenho medo, apenas dor!

1 comentário:

pipoka disse...

Amiga, quem me dera cortar as silvas para que já não sentisses dor.
Tu mereces ser feliz e serás.
Não amargures, vê o sol a brilhar, o resto virá naturalmente.
Adoro-te.
Beijo grande.