quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Saudade de tí













Escrever-te o que eu sinto é impossivel.
Contar-te o sabor da minha boca, o arrepio da minha pele,
o tom do meu olhar...
Dizer-te o meu medo, a minha vontade numa folha de papel
...assim tão leve!
Tocar-te com a minha saudade nao é tocar-te de verdade,
...é sentir amor, desejo e não te poder beijar...

1 comentário:

Cris disse...

Não é impossível.
Parece-nos,
Mas não,
Que ele conhece todos os lugares.
Sabe de cor o sabor de cada canto, Conhece o levantar da pele,
Sabe quando ela se arrepia,
Conhece a gradação da cor,
E, o tom,
O tom desse teu olhar...

Melhor do que a verdade,
É esse sentir,
Só teu,
Só dele...

E não poder beijá-lo?
Quem disse?
Espraiam-se beijos pelas folhas de papel,
Não te dás conta?

Sossega que ele vem,
Mais tarde,
E,
Esse beijo amedrontado, Envergonhado,
Ganha força,
Sai da folha,
E,
Pousa-se-lhe na pele.

Assim se realiza um desejo...

Ele sabe disso
Bem melhor do que tu,
Bem melhor
Do que alguma vez sonhaste.

És um encanto!
Ler-te é um bálsamo!
Beijo,
Cris